Skip to content

Saiba os motivos da sua saúde bucal interferir no desempenho do seu treino.

saude bucal

A prática de atividade física é fundamental para a manutenção do bem-estar de todo o organismo. No entanto, a qualidade do desempenho obtido durante o treino pode estar completamente atrelada à saúde bucal e aos cuidados que o paciente tem com os dentes.

Isso porque, como a boca é a principal porta de entrada para o corpo, a falta de cuidados com a cavidade oral é capaz de possibilitar o acometimento de doenças e condições potencialmente comprometedoras para o bom funcionamento de todo o organismo. 

Além disso, as estruturas dentais são as principais responsáveis por uma boa nutrição e fortalecimento dos tecidos musculares e ósseos. 

Assim, uma boa mastigação pode determinar a qualidade da absorção de nutrientes e a quantidade de vitaminas e minerais que é redirecionado para esses tecidos.  

Em conjunto com todos esses fatores, os problemas bucais ainda são capazes de causar uma interferência direta na saúde mental dos pacientes, afetando o rendimento na prática de esportes desde atletas amadores até as figuras profissionais.   

Por esse motivo, a odontologia esportiva tem ganhado cada vez mais notoriedade nos mais diversos segmentos do esporte.  

Doenças bucais que interferem no desempenho atlético

saude bucal

A boca é uma região muito sensível e rica em vasos sanguíneos, que pode facilmente viabilizar a infecção de agentes externos em todo o organismo. 

Além disso, a falta de cuidado com a cavidade oral é capaz de fazer com que os próprios microrganismos bucais sejam capazes de interferir no desempenho dos atletas.  

Assim, é preciso se atentar a condições como: 

  1. Cáries 

A cárie é uma infecção do tecido dental que também é responsável pela maior parte dos casos de edentulismo – perda dentária – no Brasil. 

Como essa doença compromete a integridade da estrutura dos dentes, a probabilidade do desenvolvimento de lesões por impacto é ainda maior.  

Além disso, essa infecção é responsável por quadros contínuos de dores intensas no dente e na mandíbula, podendo interferir na concentração dos esportistas e atrapalhar o desempenho, especialmente, em competições e provas.  

  1. Doenças periodontais 

A doença periodontal é uma infecção grave nos tecidos de sustentação do dente que causam a perda da massa óssea facial e o comprometimento da raiz dos dentes. 

Ela geralmente aparece em decorrência da higiene inadequada e da falta de uso do fio dental – especialmente nas facetas de resina composta.  

No entanto, o que muita gente não sabe é que essa enfermidade tem uma ligação direta com as lesões musculares. Isso porque, essa inflamação pode se infiltrar no sistema sanguíneo se espalhando por todo o organismo. 

Quando isso acontece, as bactérias responsáveis pela patologia podem acabar se aglomerando nas fibras musculares e modificando as células e incentivando o catabolismo muscular – degradação do músculo como fonte de energia para o corpo. 

  1. Sensibilidade dental 

A sensibilidade dental acontece quando o esmalte sofre erosões importantes, deixando a dentina – tecido nervoso interno – ou a raiz do dente exposta. Essa condição faz com que o paciente passe a sentir dores agudas e prolongadas durante a alimentação ou a hidratação. 

E isso pode causar problemas importantes, pois prejudica a qualidade da mastigação e da nutrição, bem como, do aproveitamento energético dos alimentos e da reposição de vitaminas e minerais importantes para a recuperação dos atletas. 

Esse é um contratempo que causa incômodos tão severos – pois pode ser ativado, inclusive, pela respiração oral – que vários atletas profissionais acabam investindo na lente de contato dental, como forma de solucionar o desconforto e o desvio da atenção.  

  1. DTM 

A má formação estrutural dos dentes e dos ossos faciais é capaz de originar problemas na constituição muscular, fazendo com que o ato de abrir e fechar a boca empregue uma tensão exagerada na articulação temporomandibular (ATM).  

Além de ser fonte de dores crônicas e persistentes na face e na cabeça, essa disfunção da ATM (DTM) também prejudica a: 

  • Mastigação;  
  • Fala;  
  • Respiração;  
  • Batimentos cardíacos – devido ao empecilho respiratório; 
  • Capacidade de descansar – pois interfere no sono; 
  • Efetividade do sistema imunológico.  

Por isso, o uso de alinhadores ortodonticos invisiveis também tem ganhado lugar de destaque entre os procedimentos odonto-esportivos.  

Como prevenir que esses problemas interfiram no bom desempenho 

De acordo com uma pesquisa realizada pela Faculdade de Odontologia de Piracicaba (UNICAMP), os problemas relacionados à saúde dos dentes e a toda a cavidade oral são capazes de reduzir o rendimento de um atleta em até 21%. 

Desta forma, o cuidado com a saúde dos dentes entre os atletas – sejam eles treinadores frequentes ou não – deve ser redobrada. Por isso, atente-se muito bem na higienização dos dentes, se certificando de realizá-la três vezes ao dia. 

Não negligencie o uso do fio dental, especialmente quando o paciente utiliza o aparelho dental de porcelana. Esse cuidado deve ser feito todos os dias após a escovação e antes do enxaguante bucal.  

Beba muita água, pois em conjunto com a hidratação de todo o organismo, ela incentiva a produção salivar que é muito importante para a proteção dos dentes e para a normalização do pH oral, o que previne o surgimento de diversas doenças bacterianas.  

E por fim, realize visitas constantes ao dentista. Essas consultas de rotina, além de servir para sanar dúvidas quanto a procedimentos – como a colocação da lente nos dentes –, também servirão para auxiliar na melhora da saúde e desempenho dos atletas. 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Networkflow, especializada em materiais para network, empreendedorismo e dicas para a saúde e 

e retenção de funcionários.